A cura do leproso

Jesus cura um sábio leproso

Estando Jesus em uma cidade, aconteceu que um homem coberto de lepra, avistando-o, aproximou-se e pôs-se de joelhos, prostrando-se com a face no chão e rogando-lhe:

“Senhor, se quiseres, podes me curar”.

Jesus, compadecendo-se dele, estendeu a mão e, tocando-o, disse: “Quero, sê curado!”

No mesmo instante a lepra desapareceu e o homem ficou curado. Porém Jesus logo o despediu, fazendo-lhe severas recomendações:

“Não fales a ninguém a este respeito, mas vai mostrar-te ao sacerdote e faze a oferta por tua purificação, conforme prescreveu Moisés, para lhes servir de testemunho”.

O homem, porém, assim que partiu, começou a proclamar bem alto e divulgar o acontecido, anunciando a Palavra. 

Com o passar do tempo Jesus já não podia entrar publicamente numa cidade. Por isso tinha que ficar fora, em lugares retirados. Sua fama se espalhava cada vez mais, e grandes multidões de toda parte vinham procurá-lo para ouvi-lo e serem curadas de suas enfermidades.

Habitualmente, depois das curas e pregações, Jesus se retirava para lugares desertos, onde se entregava à oração. (Evangelhos de: Mateus, cap. 8, vv. 2 a 4 – Marcos, cap. 1, vv. 40 a 45 – Lucas, cap. 5, vv. 12 a 16).

Esse episódio da cura de um leproso na região da Galileia mais uma vez demonstra o poder, a compaixão e a humildade de Jesus. Não se tem certeza onde ocorreu essa cura. Segundo a tradição, essa cura ocorreu em Betsaida, embora alguns autores prefiram localizar esse fato em Cafarnaum.


Voltar